Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura

cateura

Um professor de música criou um projeto que transformou as vidas de 20 crianças que vivem no aterro sanitário de Cateura, no Paraguai. Com os materiais encontrados no lixão, elas construíram seus próprios instrumentos e montaram uma orquestra.

Nas mãos dos moradores do aterro sanitário de Cateura, no Paraguai, um latão se transforma em um violão. As crianças batucam em tambores elaborados com diagnósticos de raios-X e tocam violinos produzidos a partir dos restos de uma mesa achada no lixão. Para afinar as cordas dos instrumentos, são utilizados garfos encontrados no aterro.

A Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura surgiu há cinco anos, quando o músico e professor Flavio Chávez inaugurou uma pequena escola de música para que os jovens do aterro sanitário tivessem mais oportunidades de acesso à cultura.

“A orquestra deu um novo sentido à minha vida, porque, em Cateura, infelizmente, muitos jovens não têm a oportunidade de estudar, já que têm de trabalhar, ou são viciados em álcool e drogas”, diz Ada Rios, violoncelista de 14 anos.

Sem dinheiro para comprar os instrumentos, Chávez pediu aos catadores mais velhos que construíssem os equipamentos, utilizando apenas materiais reciclados.

A partir daí, foram criados os saxofones com tampas de garrafa, uma flauta feita com latas de refrigerante e um contrabaixo montado a partir de um barril amarelo, que caíram no gosto dos alunos, hoje integrantes da orquestra infantil.

Segundo os integrantes do projeto, os instrumentos de material reciclado têm a mesma qualidade daqueles que são vendidos nas lojas. Neles, os jovens entoam um repertório longo, que conta com canções da música erudita – como Beethoven e Mozart – até clássicos da música popular – como hits dos Beatles e de Frank Sinatra – que já foram apresentados na Colômbia, no Panamá e aqui no Brasil. “Graças à orquestra, estivemos no Rio de Janeiro. Tomamos banho no mar, nas praias de Ipanema e de Copacabana.

Nunca pensei que os meus sonhos se tornariam realidade”, diz Tania Vera, de 15 anos, violoncelista que vive numa barraca de madeira, nas proximidades de um rio contaminado.

Embora o reaproveitamento do lixo seja uma alternativa de desenvolvimento sustentável, o real propósito do professor é melhorar as condições de vida das famílias que vivem no lixão paraguaio.

“A minha vontade é proporcionar a estas crianças e às suas famílias uma maneira de saírem do aterro. Para isso, vamos angariar algum dinheiro, não muito, mas o suficiente para ajudar as famílias de Cateura”, explica Chávez.

A história da Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura rendeu um documentário, e, no ano que vem, os instrumentos de lixo ganharão uma exposição no Museu de Instrumentos Musicais em Phoenix, nos EUA.

Enquanto se preparam para um possível concerto nos Estados Unidos, os pequenos músicos fazem apresentações em Assunção, capital do Paraguai. Com informações do El Tribuno.

Para saber mais sobre a Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura, visite  www.orquestarecicladoscateura.org

Fonte: CicloVivo

Conservatório Brasileiro de Música – Centro Universitário

cbm-ceu

O Conservatório Brasileiro de Música  - Centro Universitário constitui-se num centro de criação, reflexão, educação e difusão da música. A Educação Musical, no seu sentido amplo, isto é, de formação de professores, executantes, compositores, regentes e de plateias, é definida historicamente como a principal vocação do CBM. Desde a década de 70, a instituição ampliou a sua missão incorporando a formação de musicoterapeutas, estabelecendo, assim, uma nova interface entre música e saúde.

A Instituição, nos seus 75 anos de existência, vem tentado cumprir na sua trajetória o ideal dos seus fundadores, todos os professores formados pela Escola Nacional de Música, hoje UFRJ, e detentores do prêmio de “Medalha de Ouro”, liderados pelo compositor Oscar Lorenzo Fernândez: o de criar “uma Escola Livre de Música”. Uma “Escola” em que as diferentes tendências musicais pudessem conviver com suas “perfeições”, “dissonâncias” e “rupturas”, onde a tradição e a inovação provocassem inquietações, dúvidas, ousadias, erros e acertos que apontassem caminhos na luta pela presença e importância da música na vida do ser humano.

Desse modo, desde sua fundação o CBM-CEU vem mantendo seu pioneirismo e compromisso no cuidado com a música para crianças e na formação profissional de jovens e adultos.

Há mais de 40 anos, o CBM desenvolve um projeto de escolas em convênio, em diferentes cidades.

A orientação de programas, avaliação e suporte pedagógico tem sido a base da relação entre o CBM e essas escolas. Hoje fazem parte desse elenco, 18 escolas com um total de 905 alunos.

Para as crianças, o Conservatório Brasileiro de Música – Centro Universitário oferece três oficinas que são divididas de acordo com a faixa etária: a Oficina Brincar de música, a Oficina de Música para Crianças e a Oficina de Música para Jovens.

Para saber mais, visite o site da Instituição em http://www.cbm-musica.org.br.

Instituto Flauta Mágica

projetoflautamagica

O Instituto Flauta Mágica – IFM, é uma iniciativa de ação social voltada à educação de crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social no bairro Jardim Vitória, periferia de Cuiabá (MT).

Fundado em 1998, pelo Maestro Gilberto Mendes, o IFM disponibiliza aulas de música instrumental, balé e canto coral com a metodologia desenvolvida por seu fundador, baseada na experiência vivida por mais de 30 anos como educador musical.

A tecnologia social Flauta Mágica parte do princípio da inexistência do talento inato respaldada cientificamente no trabalho de pesquisa publicado recentemente no livro Desafiando o Talento, do escritor norte americano Geoff Colvin.

A metodologia de ensino do Maestro Mendes busca desenvolver a aptidão para a música nas crianças, e isto é, comprovadamente demonstrado pelo fato de já ter musicalizado mais de dois mil crianças e adolescentes da comunidade onde a instituição está inserida.

O IFM tem reconhecimento da Unesco e possui parceiros como o Pontos de Cultura de Mato Grosso e escolas da comunidade, onde um trabalho de educação complementar ao ciclo de educação básica, é realizado no contraturno escolar.

Para saber mais sobre o Instituto Flauta Mágica e seus projetos visite www.flautamagica.org.br. Divulgue!



Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis

Vozes que há 69 anos encantam o mundo, o Coral dos Canarinhos de Petrópolis (RJ) faz parte do Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis e é o coro de meninos mais famoso e antigo do Brasil com um trabalho voltado para a alta qualidade do ensino musical.

Seu repertório vai do Canto Gregoriano à música contemporânea, incluindo a música popular brasileira, com predominância para o cultivo da música sacra.

Fundado em 1942 pelo frei alemão Leto Bienias, o Coral dos Meninos Cantores de Petrópolis esteve sob a direção de Frei José Luiz Prim durante 28 anos e desde 2009 está sob a direção artística e regência do maestro Marco Aurélio Lischt.

O coro possui em sua bagagem sete turnês internacionais (Europa, Estados Unidos e Venezuela) e quatro apresentações em cerimônias presididas pelo Papa. Anualmente viaja pelas diversas regiões do Brasil, além de se apresentar em conceituadas salas de concerto como a Sala Cecília Meirelles, a Sala S. Paulo e outras.

Em sua última turnê, no ano de 2011, o Coral dos Canarinhos voltou a conquistar os europeus. Com o slogan “Nossas vozes, nossa música, nosso Brasil”, o coro levou ao continente europeu a música sacra brasileira produzida entre os séc. XIX ao XXI .

Os meninos brilharam em diversas cidades da Áustria, República Tcheca e Alemanha, onde o repertório de música brasileira surpreendeu favoravelmente o público e os músicos locais.

Filiado à Federação Nacional dos Meninos Cantores e à Federação Internacional Pueri Cantores, com sede em Roma, o Coral dos Canarinhos comumente se apresenta com grandes orquestras brasileiras, tais como: as Sinfônicas da Petrobrás, a Brasileira, a da USP, a da UFRJ, as Filarmônicas de São Bernardo do Campo, de Petrópolis e outras.

Saiba mais sobre o Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis, acessando sua página em www.canarinhos.com.br


Projeto Espaço Vida e Música

O Projeto Espaço Vida e Música tem como finalidade utilizar a música como ferramenta de inclusão e transformação social, incentivando cada criança e adolescente a colocar o coração no lugar certo, desenvolvendo valores que os acompanharão por toda a sua vida.

O Projeto teve início em 2009, por iniciativa pessoal do Maestro Paulo Davi, o qual tinha o sonho de desenvolver um trabalho social onde a música fosse utilizada como maneira de aproximar e transformar as pessoas.

No princípio o Projeto era apenas um Coral Infantil que, na medida da frequência de suas apresentações pela comunidade, tomou corpo e se desenvolveu, com a ajuda de empresários locais, passando a agregar aulas de instrumentos musicais e difundindo-se através de núcleos por outras áreas da cidade onde existiam crianças vivendo em risco social.

A música, por assim dizer, passou a transformar as vidas das crianças e de suas famílias. Atualmente 380 crianças são beneficiadas diretamente nos 5 núcleos existentes do Projeto. A cada uma delas é dada a oportunidade do resgate da autoestima e da possibilidade da inclusão social através do desenvolvimento pessoal.

O Espaço Vida e Música acredita que o investimento na difusão da cultura musical é o caminho para a transformação social efetiva e trabalha para estender sua ação social a todos os lugares de situação de risco de Curitiba e até mesmo de outros municípios brasileiros que vivem a mesma realidade social.

Para saber mais sobre o Espaço Vida e Música, visite www.espacovidaemusica.com.br


Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia

Desde 2007, os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia NEOJIBA representam uma possibilidade de mudança na vida de jovens e crianças que, através da prática coletiva da música, adquirem ferramentas essenciais ao desenvolvimento pleno de suas capacidades. O resultado dessa prática é confirmado no alto nível de excelência alcançado pelos músicos das suas orquestras.

Programa prioritário do Governo da Bahia e pioneiro no Brasil, gerido pela Associação de Amigos das Orquestras Juvenis e Infantis e do NEOJIBA – AOJIN, com manutenção da Secretaria de Cultura do Estado e apoio do Teatro Castro Alves, o NEOJIBA é fundamentado no “El Sistema”, reconhecido programa venezuelano criado em 1975 e que hoje conta com mais de 350 mil jovens e crianças e mais de 180 orquestras em todo o país. O diretor-fundador do NEOJIBA é o músico baiano Ricardo Castro.

O NEOJIBA conta com um Núcleo de Gestão e Formação Profissional – NGF, em funcionamento no Teatro Castro Alves, onde diariamente ensaiam suas principais orquestras, com integrantes entre 9 e 28 anos: a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), com cerca de 90 músicos e a Orquestra Castro Alves (OCA) com 60 integrantes. Em virtude da alta demanda de jovens para ingressar no programa, mantém-se em atividade a Orquestra Pedagógica Experimental – OPE, capacitando músicos entre 7 e 15 anos em instrumentos de cordas. Um coral com 40 jovens também foi criado, em maio de 2010, no Colégio Estadual ICEIA de Salvador.

O Programa proporciona gratuitamente aos integrantes, sem distinção social, instrumentos musicais para a prática orquestral, material pedagógico, ensino de prática e teoria musical dispensados por profissionais qualificados, auxílio transporte e lanche. Os integrantes do NGF recebem também uma bolsa auxílio.

Visite o site dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia, clicando aqui.


Associação de Amigos da Orquestra e o “Orquestra em Ação”

A Associação de Amigos da Orquestra, entidade sem fins lucrativos, criada 2003, em Ji-Paraná (RO), desenvolve projetos de música nas escolas da rede pública José Francisco, Rio Urupá e Jardim dos Migrantes, visando a inclusão social e cultural de crianças, jovens e pessoas da comunidade, criando oportunidades, através da iniciação e aprimoramento musical, além de proporcionar a manifestação dos talentos das pessoas contempladas e da melhoria do desempenho escolar dos alunos.

O projeto “Orquestra em Ação” da entidade vem trabalhando há mais de meia década e foi escolhido como forma de expressão, revelando talentos musicais e desenvolvendo a formação de orquestra na qual os alunos tem oportunidade de fazer a prática de conjunto pelos instrumentos: violino, viola, violoncello, contrabaixo, violão, piano, flauta doce, canto coral, história da música e teoria musical.

Além de despertar, desenvolver e aprimorar talentos musicais, fazendo com que crianças, jovens e adultos da comunidade jiparanaense possam ingressar no fascinante mundo da música, por meio da prática de conjunto e formação de orquestra, este é um projeto que fortalece a cultura do Estado de Rondônia oferecendo lazer, entretenimento de qualidade e a mobilização comunitária.

A prática de um instrumento musical auxilia no desenvolvimento emocional e cognitivo da criança já que a música, através de seus padrões rítmicos, desperta habilidades motoras e estimula até o raciocínio matemático, segundo especialistas da área.

Visite o site do Projeto Orquestra em Ação em www.orquestraemacao.com.br e fique sabendo mais sobre o mesmo.


Instituto Rolling Stone

O Instituto Rolling Stone é uma organização de São Paulo, sem fins lucrativos, desenvolvida pela Spring Publicações Ltda, detentora dos direitos de uso da marca Rolling Stone no Brasil.

O desafio da ONG é levar cultura musical a crianças e jovens de baixa renda, dando-lhes a oportunidade de aprender a tocar um instrumento, estudar sobre a história da música.

No Instituto Rolling Stone, as crianças têm acesso a um vasto repertório musical, desde as raízes do blues, passando pelo classic rock e heavy-metal, nunca deixando de lado as influências do rock na cultura nacional.

Com aulas de teoria e técnica musical e visitas a estúdios de gravação e casas de show, os alunos conhecem diversas áreas do universo rock and roll.

Um dos maiores problemas das crianças e adolescentes de baixa renda é a falta de opções de lazer gratuito, principalmente na área musical. Poucas têm a oportunidade de aprender a tocar um instrumento, ou condições financeiras de adquirir um.

Sendo assim, a proposta do Instituto Rolling Stone é considerada para alguns uma grande oportunidade de mudança de vida pois, além da diversão e cultura proporcionadas pelo aprendizado, a possibilidade de descobrir-se no início de uma carreira profissional é bastante grande.

Visite http://institutorollingstone.org.br para saber mais sobre o Instituto Rolling Stone e ajude a divulgá-lo.


Associação Para Iniciação Musical da Criança Carente

A Associação Para Iniciação Musical da Criança Carente – AIM é uma instituição sem fins lucrativos dedicada a promover projetos de iniciação e educação musical para crianças e adolescentes excluídos e pertencentes a comunidades carentes.

Fundada por apaixonados pela música, a AIM aproveita-se do meio musical para ofertar aos integrantes de tais comunidades uma possibilidade de inserção na sociedade através do incremento de sua autoestima e da descoberta e desenvolvimento de aptidões e habilidades pessoais diretamente ou indiretamente ligadas à atividade musical, favorecendo assim a igualdade de oportunidade entre as pessoas.

Ciente de que os benefícios resultantes da iniciação e educação musical vão muito além de seu valor intrínseco, a AIM busca ainda orientar o público em geral sobre a importância de tal educação e os reflexos altamente positivos dela decorrentes, sob os pontos de vista pessoal e profissional das crianças e adolescentes assistidos.

Um importante braço de arrecadação da AIM é o evento periódico Quem Canta Ajuda Criança. A essência do evento é transformar uma Jam Session de amantes da música numa grande festa beneficente para o público espectador, cuja integralidade dos recursos arrecadados são destinados à remuneração dos professores de música e compra dos instrumentos musicais utilizados nas aulas dirigidas às crianças e adolescentes assistidos pela AIM. Em outras palavras: boa música, boas companhias e muita diversão visando um objetivo único: ajudar o próximo!

Visite o site da AIM em http://www.aim.org.br ajude a divulgá-la!


Viva Vila – Arte e Vida


A Viva Vila é uma Organização Não Governamental, fundada em 2001, na cidade de Bragança Paulista (SP), que tem como princípio de ação social a valorização da pessoa humana.

A missão da ONG é oferecer acesso à arte, principalmente para crianças, adolescentes e jovens, através de atividades culturais que possibilitem uma ponte para a cidadania plena.

Com os projetos da ONG, crianças de comunidades menos favorecidas podem participar de atividades que sugerem caminhos importantes na conduta de integração social, através do desenvolvimento de habilidades inatas.

Com cursos gratuitos de formação musical, grupos de dança e outros, as crianças e adolescentes vão se descobrindo e aprimorando dons artísticos, num aprendizado estimulante que, para muitos, não seria possível de acontecer de outra forma, o que deixa muitos pais felizes por poderem encaminhar seus filhos na vida, através de uma forma alternativa de educação.

Com seu trabalho, a Viva Vila pretende contribuir para a diminuição dos riscos sociais, trazer mais divisas a cidade, criar um futuro diferenciado para as pessoas de baixa renda e auxiliar na implantação de uma cultura de base que permita a criação de uma identidade especial para o município.

Visite o site da ONG Viva Vila em http://www.vivavila.com.br e ajude a divulgá-la.